Scroll to top
  • Tel. +55 11 4040-5069

Estabelecendo um terreno empresarial propício à inovação

Para que os resultados extraídos de ferramentas tecnológicas beneficiem a figura humana no ambiente de trabalho, é necessário se atentar à preparação de uma cultura interna receptiva à inovação.

Quando se aborda o impacto da tecnologia sobre a realidade de uma organização, é comum reduzir a discussão aos ganhos técnicos e aos resultados positivos conquistados a médio e longo prazo. No entanto, para que se atinja um nível elevado de eficiência nas atividades e a maturidade operacional necessária para que os benefícios dos recursos tecnológicos sejam sentidos na prática, é necessário se atentar à preparação de uma cultura organizacional capaz de absorver a inovação em sua totalidade, sem ignorar a participação das pessoas nessa transição.

Naturalmente, existem variáveis particulares à cada tipo de empresa que deseja abraçar a Transformação Digital, o que significa uma complexidade a ser considerada antes de qualquer tomada de decisão. Mesmo assim, é possível indicar medidas favoráveis à adesão de soluções inovadoras e também compatíveis com a valorização humana, outra tendência obrigatória em termos de produtividade e engajamento das equipes. Esses dois tópicos, se alinhados com excelência e priorizados de acordo com a seriedade do tema, são qualificados para assegurar um futuro de inúmeras oportunidades para a companhia e seus profissionais.

A inovação não é exclusiva dos processos
Sem dúvidas, um dos maiores sucessos ligados à automação está na assertividade adquirida em procedimentos cruciais para a efetividade das operações, diminuindo ruídos comunicacionais e a imprecisão obtida pelo uso de sistemas antiquados, a exemplo de planilhas e outros modelos manuais. Porém, de nada adiantará esse aprimoramento nos métodos de trabalho se não existir nenhuma política de conscientização do papel humano dentro desse cenário. Isto é o ato de apostar na aplicação de uma mudança profunda no comportamento dos colaboradores, sempre sob o pretexto de que o protagonismo ainda pertence ao profissional. Não por acaso, conceitos de transformação cultural têm feito parte dos últimos assuntos discutidos no âmbito empresarial, pois conversa diretamente com essa necessidade de se reinventar o posicionamento de todos os envolvidos no dia a dia dos negócios.

O gestor, representando a maior figura de liderança e grande referencial de sua empresa, deve-se comprometer com a inclusão de inciativas voltadas para capacitação das equipes no planejamento estratégico concebido com a finalidade de institucionalizar a inovação em sua governança corporativa.

Quais são os efeitos para a gestão do Comércio Exterior?
As companhias e colaboradores que lidam a gestão dos processos de Comércio Exterior devem se mostrar conscientes do dinamismo e a alta competitividade do mercado que atuam, ainda mais com a simplificação que o próprio Governo já vem demonstrando diante à toda integração da cadeia.

É fundamental aderir as inovações neste momento de integração e transformação digital, não há espaço para falhas operacionais, e escolhas equivocadas é cada vez menor e pode simbolizar uma queda sem volta em organizações que apresentam procedimentos fragilizados. Com essa contextualização, principalmente em tempos de adversidade e recuperação econômica, a estruturação de uma cultura propícia à inovação ganha aspectos de urgência ainda mais contundentes.

Reformulação estratégica valoriza profissionais
Por que é tão importante centralizar as atenções nessa espécie de coexistência entre profissional e tecnologia? Se por um lado as ferramentas de automação não podem assumir toda a responsabilidade de colocar a empresa em outro patamar produtivo, elas são capazes de proporcionar insumos fundamentais para que a tomada de decisão, bem como a escolha de novos caminhos operacionais, seja realizada com base em tecnologias analíticas confiáveis e seguras.

Além dessa estabilidade técnica, com a digitalização de tarefas repetitivas, os profissionais serão liberados para exercer funções que exigem uma subjetividade natural à figura humana. O resultado é um aumento significativo no engajamento de equipes que até então se limitavam à falta de praticidade de módulos de trabalho estáticos. Logo, não seria nenhum exagero afirmar que a inserção tecnológica é um dos contribuintes mais eficazes para a valorização do papel dos colaboradores na rotina das empresas.

Encerro o artigo reforçando um alerta para todas as empresas que buscam aproveitar as vantagens recorrentemente associadas à transformação digital, sem que a companhia sofra com resistências internas ou até mesmo uma falta de adaptabilidade entre as áreas. No fim, o objetivo por trás da inovação no cotidiano empresarial não é sobre modernizar ou criar um estigma sobre a marca da organização, mas de valorizar as pessoas por meio da simplificação de processos. Com esse compromisso previamente estabelecido, o ato de inovar será muito mais valioso.

Exclusividade:
Empresas & Negócios | É necessário atentar à preparação de uma cultura interna receptiva à inovação

ecomex-claudia-oliveira-estabelecendo-um-terreno-empresarial-propicio-a-inovacao

 

Cláudia Oliveira
COO at eCOMEX NSI | + posts

Com MBA em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas e MIT em Gestão de Tecnologia da Informação pela FIAP!

 

Related posts